quinta-feira, 19 de maio de 2011

TVT - Tumor Venéreo Transmissível

Adalgiza não é um cão, nem um gato. É uma senhora “Humana” muito simpática. Todos os dias passa apressada em frente a clinica a caminho do seu trabalho, sempre sorridente, me cumprimenta com um oi bem alegre e caloroso. Um dia trouxe um animal para ser examinado, o “Abandonado”, pois apresentava secreção sanguinolenta pelo pênis.

Como diz o meu professor, essa é uma doença de cachorro gandaieiro, mas não é exclusiva de macho.

O “Abandonado” foi recolhido da rua e foi abandonado pelo seu vizinho. Ele apresentava nódulos na base do pênis com aspecto a uma couve-flor, que acomete além das genitálias, outras partes do corpo como a pele, a cavidade oral, o pavilhão auditivo, baço, rim, fígado, pulmão, globo ocular, região anal, faringe, encéfalo,...



O TVT - Tumor Venéreo Transmissível é considerado uma neoplasia de células redondas da mucosa da genitália externa de cães machos e fêmeas, transmitido durante o coito, através da transferência de células neoplásicas de um animal para outro. A patologia dá-se também por arranhaduras, lambeduras ou através do ato de cheirar o animal infectado.


A quimioterapia é o tratamento de maior escolha, e com uma semana de tratamento, pode-se observar redução pela metade dos nódulos chegando a ser reduzido completamente no final do tratamento do “Abandonado”.


Animais que tem acesso fácil a rua tem maior probabilidade de contrair a doença.

Esse animal foi abandonado pelo vizinho da senhora Adalgiza, que encontrou no abandono a solução mais prática e mais fácil para ele. Situações assim são vistas todos os dias.

Campanhas educacionais que objetivam despertar a responsabilidade dos donos devem ser realizadas.

A primeira coisa que uma pessoa deve saber antes de ter um animal de estimação é que: eles não são objetos para serem descartados dessa maneira.

Apesar dos esforços, o abandonado possuía outras patologias que o impediram de continuar com a senhora Adalgiza.

Nenhum comentário:

Postar um comentário