domingo, 19 de junho de 2011

Fratura de bacia

Negão é um animal muito especial, foi resgatado da rua há alguns anos após um atropelamento, e já necessitava de cuidados especiais, um deles era o esvaziamento da bexiga, por compressão digital, para eliminação da urina.

Seu proprietário, dedicado como ele só, estava justamente promovendo conforto a ele na frente de sua casa, quando o Negão foi propositalmente atropelado.

Logo que foi atendido, foi realizada abordagem diagnóstica verificando vias aéreas, hemorragias, circulação e terapêutica inicial, com canulação intravenosa para administração de fluidos e fármacos para estabilização do paciente, pois se tratava de emergência.

O Negão estava bem, mas apresentava alterações neurológicas com hiperextensão dos membros anteriores, crepitações na região da pelve do lado direito (fratura múltipla no ísquio na região da espinha isquiádica e acetábulo direito) e pequena edemaciação no membro posterior esquerdo.

Durante período de estabilização do paciente, ele ficou totalmente instável, o edema no membro posterior esquerdo aumentou consideravelmente no período de 2 horas e no decorrer de 12 horas ficou inteiramente edemaciado com presença de petéquias e equimoses na região abdominal até o pescoço.




Até a estabilização do paciente, até a realização dos diagnósticos complementares, hemorragia interna ainda não havia sido descartada, assim como ruptura de baço, perfuração gástrica, ruptura de bexiga,.... CID..... hemoperitônio, uroperitônio.... torção testicular.

Ele necessitou de um atendimento diferenciado e foi encaminhado para um centro de terapia intensiva (Intensivet/ BH), onde foi estabilizado e operado sete dias após o traumatismo.

Fraturas da pelve representam 20 a 30% das fraturas observadas em cães e gatos, sendo a maioria causada por acidentes automobilísticos. Fraturas do ílio ocorrem em aproximadamente 46% das pelves traumatizadas e apresentam-se geralmente oblíquas ou transversas no corpo desse osso, mas também podem ocorrer fraturas múltiplas e cominutiva.

Durante a locomoção, o ílio é uma importante interface de cargas entre os membros pélvicos e a coluna vertebral. Quando fraturado, fica comprometida essa interação mecânica, prejudicando a função motora do membro pélvico. A estabilização cirúrgica devolve as condições estruturais adequadas para locomoção.




A garra do Negão e a dedicação do seu dono fizeram da sua recuperação um sucesso. Três meses depois da primeira cirurgia, ele ainda não apoiava em seus membros posteriores. Foi realizada outra cirurgia para retirada da implantação do parafuso e fios de aço, pois estavam prejudicando a locomoção.




Ainda é necessário que seu tutor auxilie no esvaziamento da bexiga, e realize fisioterapias diárias para ajudá-lo na locomoção, e ele já experimenta seus primeiros passos.


Cães com trauma pélvico sustentam o peso em três membros quando as injúrias são unilaterais. Vale lembrar que o Negão já apresentava dificuldade em se locomover antes desse atropelamento, e essa inabilidade de sustentação do peso também está relacionado aos danos a outras estruturas esqueléticas. Uma complicação que vem ocorrendo com bastante freqüência no Negão é a Cistite, mas esse tema será abordado em outra postagem.







Para contribuir nessa conquista, um habilidoso engenheiro mirim, fabricou um carrinho de PVC para sua fisioterapia.

5 comentários:

  1. Me emocionei lendo esta história! =)

    ResponderExcluir
  2. Obrigada pelas informacoes no blog, bem esclarecedoras. Continuem publicando sobre fraturas em animais e o que tem sido desenvolvido para que eles se recuperem, quais as novidades na area. Sou amiga de uma Protetora de Animais e ela resgatou um gatinho filhote (o gatinho foi arremessado por uma casal de criminosos). O gatinho apresenta uma fratura na bacia, ele se arrasta e sente muita dor. Os veterinarios da USP fizeram uma junta para decidir o que fazer. Pelo fato de ele ser filhote, eles descartaram uma cirurgia e encaminharam para o Grupo da Dor. Ele come bem, dorme bem, brinca, ele quer viver. Esta sob o medicamento Traumal. Temos esperanca de encontrar o tratamento certo. Agradecida, Marli.

    ResponderExcluir
  3. me ajudem por favor.. meu cao foi atropelado... sofreu fratura na pelvis das 2 patas.... o medico operou o pino soltou... quando tava ficando bom soltou do outro lado... gora ele nao consegue mais fazer xixi... o que mais me preocupa pois so faz com sonda... mas a sonda nao pode ficar muito tempo...pra nao irritar.... ai tento fazer massagem mas ele nao deixa faEr massagem pra urinar.... fica prendendo o xixi.... dou remedio pra ele dormir... ai ele relaxa ai sim consigo tirar o xixi com massagem... mas tbm nao posso ficar dopando o cao todos os dias.... estou preocupado em ele adquirir infeccao urinaria.... a bexiga so falta estourar mas ele nao faz.... ja levei no poste onde ele costuma urinar e nada.... ta sofrendo ele e eu.... me ajudem por favor.... o medico quer colocar uma sonda direto na bexiga com uma bolsa pra fora... mas nao quero isso pra ele... quero outras opcoes... deixar isso pra último caso....ja gastei 12mil reais com a cirurgia.... com fisioterapia mas o xixi dele agora me preocupa muito.... o que faço?

    ResponderExcluir
  4. meu cão fraturou a bacia o veterinário disse para ele fazer repouso por 2 meses sem cirurgia está correto

    ResponderExcluir