domingo, 2 de junho de 2013

Memórias póstumas de Yanca

Yanca tinha uma mãe e irmãos humanos, convividos por 17 anos.

Gente! 17 anos divididos, compartilhando histórias.

Ela foi naturalmente domesticada. Na falta de irmãos para brincadeiras, arranjava-se com eles como podia.
Por isso mesmo, por ter a casa sempre rodeada de amigos, eles quando iam procurar o Cláudio ou o Gustavo peguntavam a Lucinha:
- E a Yanca, já morreu?
Lucinha respondia: - Ela está aqui firme e forte.
- Que isso! A Derci já morreu, a Hebe ja morreu, ela não vai morrer não?

Por isso mesmo arrancava boas risadas e essas lembranças hoje são misturadas com a dor, com a saudade e com as histórias compartilhadas entre a família e a roda de amigos.

Yanca estava fazendo fisioterapia para melhorar a dor causada pelas degenerações das vertebras cervicais e hernias em vários pontos da coluna. Ela teve um AVC e morreu de falência múltipla de órgãos.

A morte biologica é natural, e esse fato pode ser percebido através de mudanças de comportamento. Seus proprietários promoveram bem estar a ela nos seus últimos dias de vida.

Um comentário:

  1. Entendo perfeitamente o que é isso, e a cada caso é como se revivesse novamente o que passei com minha Preta.
    Que essa mamãe humana tenha o conforto por ter dado muito amor e ter tido o privilégio de experimentar e dividir esse amor por 17 anos.
    Sou solidária a ela e toda familia.

    ResponderExcluir